QUEM SOMOS
LEGISLAÇÃO
PRODUTOS A VENDA
SERVIÇOS
-
  - Resoluções do Contran
  - Portarias do Denatran
  - Legislação do RNTRC - ANTT
  - Legislação do Vale Pedágio
  - Legislação do TRC
  - Legislação Cargas Especiais
  - Legislação Cargas Perigosas
  - Legislação Transporte de Toras
  - Legislação Produtos Perecíveis
  - Legislação Produtos Controlados
  - Legislação Contêineres
  - Legislação Transporte Internacional
  - Legislação Veículos OK
  - Veículo com Dimensões Excedentes
  - Seguros Obrigatórios
  - Livros de logística e transporte
  - VídeoCursos
  - Software para Obtenção de AET
  - Software de Custeio de Frete
  - Revista Mundo Logística
  - Revista Crane Brasil
 - Conteúdo do Portal
 - Notícias e Clipping
 - Central de Tabelas de Frete
 - Cursos e Treinamentos
 - Cursos In Company
 - Dimensionamento de Frotas
 - AET para cargas de projeto
 - Viabilização de cargas de projeto
 - Consultoria para obtenção de AET
 - Estudos de Rigging
 - Consultoria fiscal e contábil
 - Desenvolvimento de Softwares
 - Fale Conosco

Conteúdo...
CAUSAS DOS ACIDENTES
Problemas na amarração da carga
Problemas na distribuição de peso
Por que os veículos de carga tombam?
O que é efeito "L" ou "Canivete"?
O que é efeito Slosh?
Mitos e manias no transporte de cargas
Excesso de jornada
Efeitos do excesso de peso
COMO EVITAR OS ACIDENTES
Medidas para prevenção do Motorista
Medidas para prevenção da Manutenção
Medidas para prevenção das deficiências da infraestrutura
ESTUDOS, PESQUISAS & ENSAIOS
Artigos

Avaliação da Estabilidade Lateral em Conjuntos de Veículos de Carga

Análise de falhas mecânicas em componentes e veículos de carga.
Ensaio do sistema de freio pneumático de veículos rebocados.
INSPEÇÃO DE VEÍCULOS
Verificação da estabilidade de veículos pesados
Avaliação técnica de projetos de equipamentos de transporte
PERÍCIAS E AVALIAÇÕES
Perícias de engenharia na área mecânica
Reconstituição de acidentes de trânsito
TRÂNSITO E TRANSPORTE
Treinamentos em segurança no transporte
Treinamentos em gestão de frota com foco na “Lei da Balança”
ESTATÍSTICAS
Acidentes com Bitrem
Acidentes com Guindastes
Idade da frota
Idade dos motoristas
NOVAS TECNOLOGIAS
Leia artigo sobre o assunto
FONTE DE DADOS E INFORMAÇÕES

Os dados e informações da seção de gestão da segurança no transporte rodoviário de cargas têm como fonte o trabalho do Eng.º Rubem Melo, foto abaixo.

Rubem Penteado de Melo é Engenheiro Mecânico com pós-graduação em engenharia de produção e mestrado em engenharia mecânica. Foi engenheiro projetista da Bernard Krone do Brasil (fabricante de semi-reboques e da Ford New Holland (fabricante de máquinas agrícolas). Atuou ainda como engenheiro industrial, gerente de produto e atualmente é diretor, responsável pela área da qualidade nos serviços de inspeção de segurança de veículos sinistrados e alterados e inspeção de veículos que transportam produtos perigosos na Transtech Ivesur Brasil Ltda. Foi vencedor do Prêmio Volvo de Segurança no Trânsito de 1996.

contato: rubem@transtech.com.br


Por que ocorre o efeito “L” ou efeito canivete?

O “L” ou efeito canivete é provocado pelo travamento do eixo traseiro do cavalo-mecânico. Eliminar o freio no eixo dianteiro põe em risco o conjunto e aumenta a possibilidade do “L”.

Muitos acidentes com caminhões, especialmente caminhões-tratores, têm como causa problemas nos freios. Nem sempre estão associados somente ao problema de falta de freio, mas também a sua baixa eficiência devido à má regulagem das catracas de freio, lonas gastas, vazamentos de ar, distribuição incorreta da pressão de ar entre os eixos, erros na distribuição da carga sobre o veículo, entre outros.

Esses problemas associados à condição escorregadia da pista, principalmente em dias chuvosos podem gerar graves acidentes.

Quando existe algum problema de balanceamento no freio do caminhão ou na carreta, pode ocorrer o travamento dos pneus em um ou mais eixos, com as conseqüências descritas abaixo:

1. Quando ocorre o travamento (bloqueio) do eixo dianteiro do caminhão o conjunto move-se diretamente para frente independente do ângulo das rodas.

2. Quando é o eixo de tração do veículo que bloqueia, ocorrerá o chamado “efeito canivete” ou “L”.

3. Quando são os eixos da carreta que bloqueiam, ocorre um deslizamento lateral da carreta.


Caso 1. é o menos grave dos três casos, no entanto motorista não conseguirá desviar de nenhum obstáculo;

Caso 2. é muito grave. Se o eixo de tração travar ocorrerá o efeito “L” ou “canivete”, mesmo que o eixo dianteiro esteja em linha reta;

Caso 3. como o caso 2, o motorista perde o controle direcional do conjunto, podendo invadir a pista contrária e colidir com outro veículo.

O problema básico é que rodas bloqueadas praticamente não transmitem forças laterais. O veículo pode deslizar e perder a dirigibilidade.

Quando as rodas da tração travam qualquer desvio ou força lateral faz com que o cavalo gire rapidamente e o “L” é inevitável. Uma vez iniciado dificilmente o motorista consegue evitá-lo.

É mais comum ocorrer com o veículo vazio, pois, nessa condição (e na ausência de “válvula sensora de carga” nos freios), ao pisar com força no pedal, as rodas travam com mais facilidade.

Também é possível causar o “L” sem freiar o caminhão, quando por exemplo, em uma curva, com pista molhada, o motorista alivia bruscamente o acelerador. O freio motor pode causar o mesmo efeito.

Outro perigo para o efeito canivete é a mania de alguns motoristas de afastarem as lonas do eixo dianteiro. Isso sobrecarrega os demais e aumenta ainda mais a chance de travar os pneus da tração e causar o “L” !.

A condição básica para evitá-lo é balanceamento e regulagem dos freios. Outro recurso para evitar o “L” é o ABS. É um sistema que controla eletronicamente a frenagem dos eixos, impedindo que os pneus bloqueiem em freiadas bruscas, mantendo a estabilidade direcional e a dirigibilidade.



Welcome to Adobe GoLive 6