3/12/2010 14:14:00

Quanto ganha um policial rodoviário federal no Brasil

No Brasil, os policiais rodoviários federais são remunerados por meio de subsídio. O subsídio dos membros da carreira de policial rodoviário federal passou a incorporar os vencimentos, gratificação, adicional e demais vantagem pecuniária individual que o funcionário da carreira viesse a ter. Portanto, o salário do policial rodoviário federal é pago por meio de subsídio, que é pago em parcela única, não sendo mais composto de vencimento, gratificações, vantagens e outros adicionais, a exemplo de outros funcionários públicos. Confira abaixo as Classes e os respectivos Salários:

Agente I - Salário inicial de R$5.804,95

Agente Operacional I a VI - R$7.082,04 a R$7.443,29

Agente Especial I a VI - R$8.088,07 a R$9.376,29

Inspetor I a III - R$9.938,87 a R$10.544,14

TABELA DE SUBSÍDIO DOS CARGOS DA CARREIRA DE POLICIAL RODOVIÁRIO FEDERAL (EM REAIS)

CLASSE PADRÃO SUBSÍDIO
Inspetor III 10.544,14
II 10.237,03
I 9.938,87
Agente Especial VI 9.376,29
V 9.103,19
IV 8.838,05
III 8.580,63
II 8.330,71
I 8.088,07
Agente Operacional VI 7.443,29
V 7.369,60
IV 7.296,63
III 7.224,39
II 7.152,86
I 7.082,04
Agente I 5.804,95

História da Criação da Polícia Rodoviária Federal no Brasil

A polícia rodoviária federal brasileira é um dos órgãos que compõem a Segurança Pública Brasileira, e tem previsão constitucional (art. 144, inciso II, da Constituição da República Federativa do Brasil). O Departamento de Polícia Rodoviária Federal é vinculado ao Ministério da Justiça, cuja sede fica em Brasília (DF). O atual ministro da Justiça do Brasil é o senhor Luiz Paulo Barreto.
De acordo com a constituição, a segurança pública é exercida para a preservação da ordem pública e da incolumidade das pessoas e do patrimônio.

A Polícia Rodoviária Federal foi criada pelo presidente Washington Luiz no dia 24 de julho de 1928 (dia da Polícia Rodoviária Federal), com a denominação inicial de "Polícia de Estradas". Em 23 de julho de 1935 (dia do Policial Rodoviário Federal), foi criado o primeiro quadro de policiais da hoje Polícia Rodoviária Federal, denominados, a época, "Inspetores de Tráfego". No ano de 1945, já com a denominação de Polícia Rodoviária Federal, a corporação foi vinculada ao extinto Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER). Finalmente, em 1988, com o advento da Constituinte, a Polícia Rodoviária Federal foi integrada ao Sistema Nacional de Segurança Pública, recebendo como missão exercer o patrulhamento ostensivo das rodovias federais.

Observa-se, assim, que o Departamento de Polícia Rodoviária Federal brasileiro atua de forma ostensiva no patrulhamento das rodovias federais brasileiras, trazendo segurança e tranquilidade aos cidadãos. Ela fiscaliza diariamente mais de 61 mil quilômetros de rodovias e estradas federais, zelando pela vida daqueles que utilizam a malha viária federal para exercer o direito constitucional da livre locomoção. Devido a relevância de seus trabalhos, os policiais rodoviários federais merecem uma boa remuneração.

Atribuições e Funções da Polícia Rodoviária Federal

De acordo com o Código de Trânsito brasileiro, compete à Polícia Rodoviária Federal, no âmbito das rodovias e estradas federais, cumprir e fazer cumprir a legislação e as normas de trânsito, no âmbito de suas atribuições; realizar o patrulhamento ostensivo, executando operações relacionadas com a segurança pública, com o objetivo de preservar a ordem, incolumidade das pessoas, o patrimônio da União e o de terceiros; aplicar e arrecadar as multas impostas por infrações de trânsito, as medidas administrativas decorrentes e os valores provenientes de estada e remoção de veículos, objetos, animais e escolta de veículos de cargas superdimensionadas ou perigosas; efetuar levantamento dos locais de acidentes de trânsito e dos serviços de atendimento, socorro e salvamento de vítimas; credenciar os serviços de escolta, fiscalizar e adotar medidas de segurança relativas aos serviços de remoção de veículos, escolta e transporte de carga indivisível; assegurar a livre circulação nas rodovias federais, podendo solicitar ao órgão rodoviário a adoção de medidas emergenciais, e zelar pelo cumprimento das normas legais relativas ao direito de vizinhança, promovendo a interdição de construções e instalações não autorizadas;

coletar dados estatísticos e elaborar estudos sobre acidentes de trânsito e suas causas, adotando ou indicando medidas operacionais preventivas e encaminhando-os ao órgão rodoviário federal; implementar as medidas da Política Nacional de Segurança e Educação de Trânsito; promover e participar de projetos e programas de educação e segurança, de acordo com as diretrizes estabelecidas pelo Conselho Nacional de Trânsito; integrar-se a outros órgãos e entidades do Sistema Nacional de Trânsito para fins de arrecadação e compensação de multas impostas na área de sua competência, com vistas à unificação do licenciamento, à simplificação e à celeridade das transferências de veículos e de prontuários de condutores de uma para outra unidade da Federação; fiscalizar o nível de emissão de poluentes e ruído produzidos pelos veículos automotores ou pela sua carga, além de dar apoio, quando solicitado, às ações específicas dos órgãos ambientais.

A Polícia Rodoviária Federal também possui as seguintes atribuições, previstas no Decreto nº 1655, de 3 de outubro de 1995: realizar o patrulhamento ostensivo, executando operações relacionadas com a segurança pública, com o objetivo de preservar a ordem, a incolumidade das pessoas, o patrimônio da União e o de terceiros; exercer os poderes de autoridade de polícia de trânsito, cumprindo e fazendo cumprir a legislação e demais normas pertinentes, inspecionar e fiscalizar o trânsito, assim como efetuar convênios específicos com outras organizações similares; aplicar e arrecadar as multas impostas por infrações de trânsito e os valores decorrentes da prestação de serviços de estadia e remoção de veículos, objetos, animais e escolta de veículos de cargas excepcionais; executar serviços de prevenção, atendimento de acidentes e salvamento de vítimas nas rodovias federais; realizar perícias, levantamentos de locais boletins de ocorrências, investigações, testes de dosagem alcoólica e outros procedimentos estabelecidos em leis e regulamentos, imprescindíveis à elucidação dos acidentes de trânsito; credenciar os serviços de escolta, fiscalizar e adotar medidas de segurança relativas aos serviços de remoção de veículos, escolta e transporte de cargas indivisíveis; assegurar a livre circulação nas rodovias federais, podendo solicitar ao órgão rodoviário a adoção de medidas emergenciais, bem como zelar pelo cumprimento das normas legais relativas ao direito de vizinhança, promovendo a interdição de construções, obras e instalações não autorizadas; executar medidas de segurança, planejamento e escoltas nos deslocamentos do Presidente da República, Ministros de Estado, Chefes de Estados e diplomatas estrangeiros e outras autoridades, quando necessário, e sob a coordenação do órgão competente; efetuar a fiscalização e o controle do tráfico de menores nas rodovias federais; colaborar e atuar na prevenção e repressão aos crimes contra a vida, os costumes, o patrimônio, a ecologia, o meio ambiente, os furtos e roubos de veículos e bens, o tráfico de entorpecentes e drogas afins, o contrabando, o descaminho e os demais crimes previstos em leis.

Estrutura da Polícia Rodoviária Federal

Para o cumprimento de sua missão constitucional, a Polícia Rodoviária Federal está presente em todo o território nacional, estruturada em 21 Superintendências Regionais, 05 Distritos Regionais, 150 Delegacias e 400 Postos de Fiscalização. A administração central do Departamento de Polícia Rodoviária Federal está localizada em Brasília (DF). Clique aqui para saber Endereços e Telefones das Unidades da PRF em todo território nacional.

Como ingressar na Carreira da Polícia Rodoviária Federal

Para ser um Policial Rodoviário Federal é necessário a realização de Concurso Público composto por várias etapas, dentre as quais, Provas de Conhecimentos Gerais e Específicos e Teste de Capacidade Física. Com o advento da Lei nº 11.784/2008, passou a ser requisito para o ingresso na carreira de policial rodoviário federal o diploma de curso superior completo, em nível de graduação, devidamente reconhecido pelo Ministério da Educação. A carreira de policial rodoviário federal é estruturada em seis classes: Agente, Agente Operacional, Agente Especial e Inspetor. Com a aprovação no concurso, o candidato faz jus a entrada na classe de Agente, mas, cada vez que o policial rodoviário federal for promovido, o salário dele ganhará um acréscimo financeiro. Estima-se que a Polícia Rodoviária Federal realize concurso público em 2011, inclusive para a área administrativa da polícia. Então quem está interessado em fazer é bom iniciar os estudos e comprar Apostilas Específicas para o tal concurso pois costuma ser bem concorrido.

 

Leia mais:
Tamoios deve iniciar cobrança do pedágio a partir de 1º de julho
Gamesa e Siemens criam gigante mundial da energia eólica
Codesp pretende monitorar cargas perigosas no Porto de Santos
Lei pode aumentar pedágios no País
Especialistas apontam índices alarmantes da infraestrutura de transportes e logística
Lei amplia renegociação das dívidas de caminhoneiros
Distribuidores fecham parceria para diminuir custos logísticos
Parecer preliminar sobre marco regulatório de transporte de cargas será apresentado na quinta
Comissão discute incentivos para baratear custo de energias solar e eólica
Energia eólica: implantação de parques ameaçados


TABELAS DE FRETE

Assinantes do Guia tem acesso total as planilhas referenciais atualizadas mensalmente.

GUIA DO TRC

Assinantes do Guia tem acesso total a todos os sites administrados pelo portal Guia do TRC

CARGA DE PROJETO

Assinantes do Carga de Projeto tem acesso total ao conteúdo técnico sobre carga excedente.

PESAGEM DE CARGAS

Assinantes do Pesagem de Cargas tem acesso total ao conteúdo técnico sobre pesagem de cargas.

Quem somos

O Guia do Transportador ou, abreviadamente, GUIADOTRC é um Portal especializado na geração de informação, conteúdo técnico e prestação de serviços, inclusive de consultoria, para as pessoas e empresas que atuam na indústria de transportes e logística.

A produção do extenso e abrangente conteúdo técnico é resultado do trabalho coletivo de um grupo de especialistas atuantes em empresas de transportes, universidades, governo e associações de classe, o que garante a confiabilidade, simplicidade e praticidade na consulta e uso das informações disponibilizadas

Atuamos ainda no desenvolvemos de softwares e através da Central de Custos e Formação de Preços de Transportes fazemos pesquisa de Preço de Insumos, elaboramos Planilhas de Cálculo de Custos Operacionais e Tabelas de Frete, assim como índices para atualização de preço dos serviços de Transporte de Carga e de Passageiros.