22/08/2016
Artigo - Como a cubagem influencia no cálculo do frete*

O cálculo dos preços e prazos dos fretes é um processo muito complexo e que envolve um grande número de variáveis. Uma delas é a cubagem, termo que significa avaliação do volume de um corpo em unidades cúbicas.

No que diz respeito à logística, trata-se de uma taxa cobrada no frete que leva em conta, além do peso da carga, o volume ocupado por ela no veículo de transporte. O objetivo de realizar o cálculo da cubagem é tentar otimizar ao máximo o uso da capacidade de carga, evitando os custos gerados ao operar a frota com carga ociosa.

Essa taxa se faz necessária pois os veículos de transporte rodoviário foram feitos para carregar grandes pesos em um espaço limitado, sendo que alguns produtos ocupam muito espaço mesmo sendo extremamente leves.

O algodão é um bom exemplo disso. Imagine que você é dono de uma transportadora e sua frota tem capacidade para 20 toneladas. Você conseguirá facilmente acomodar em seu caminhão 20 toneladas de ouro ou chumbo, por exemplo, pois estes são produtos pesados. No entanto, transportar 20 toneladas de algodão seria uma tarefa impossível, pois o algodão é um produto muito leve mas que ocupa um espaço incomensurável, sendo necessários vários caminhões para efetuar o transporte desse peso específico.

Em casos como esse, não é justo cobrar o frete baseando-se somente no peso da carga. É para resolver situações como essa que se estabeleceu o cálculo da cubagem. Resumidamente, o objetivo é evitar que se ocupe todo o espaço físico do caminhão antes de atingir sua capacidade em peso ou o contrário, que se use toda a capacidade em peso do caminhão sem utilizar todo o espaço disponível. Do contrário, haveria baixa produtividade e até prejuízos.

A taxa de cubagem é definida por meio de um cálculo matemático bem simples usando as características do produto:

Altura x largura x comprimento x quantidade x fator de cubagem

O fator de cubagem é um valor estipulado pela Associação Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) como sendo o mais próximo do ideal. Por consenso, usa-se 300 como valor padrão nos cálculos, mas cada empresa pode adequar esse valor de acordo com suas particularidades.

Se o peso cubado for maior que o peso real do produto, ele é levado em consideração na hora de precificar o frete. Do contrário, considera-se o peso real na hora de definir os preços e o peso cubado é desconsiderado.

Consegue enxergar a importância? A cubagem é uma ferramenta essencial para os gestores que querem garantir a rentabilidade das operações da empresa, pois associa o peso e o volume das mercadorias, evitando distorções.

Infelizmente muitas empresas continuam realizando o cálculo do frete de maneira intuitiva para definir os valores dos fretes. Se você não realiza um cálculo preciso do frete, cuidado! Você pode estar tendo prejuízo devido à falta de planejamento!

Para evitar esse tipo de problema, tem se tornado cada vez mais comum a terceirização do cálculo do frete. Empresas especializadas no assunto podem ajudá-lo a implementar as tabelas de frete levando em conta todas as variáveis envolvidas, inclusive a cubagem. Se você utiliza várias transportadoras, essa pode ser uma opção.

Conheça a fundo a operação do seu negócio e procure sempre as soluções mais adequadas ao perfil de sua empresa. Assim, você poderá otimizar sua operação e garantir a satisfação de seus clientes por oferecer um serviço de qualidade.

Guilherme Reitz é mestre em Organizações, Tecnologias e Gestão pela ESAG/UDESC e sócio-fundador do Axado, empresa do Mercado Envios especializada em tecnologia para Gestão de Fretes

 

Fonte: O Autor
Leia mais:
Para a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos o Voucher Caminhoneiro não resolve os verdadeiros problemas dos caminhoneiros, e poderá trazer outros
Sua transportadora não sabe como reajustar o preço do frete diante dos constantes aumentos do Diesel?
Problemas com obtenção de AET? Conheça a Central de AET
Não é só nas rodovias federais que os veículos e combinação de veículos com dimensões excedentes ou mesmo veículos convencionais transportando cargas excedentes estão obrigados ao porte de AET.
Escola de Transportes lança pacote de cursos em vídeo
ANTT realiza operação nacional com foco na fiscalização de exigências como Vale Pedágio e Piso Mínimo
Sua empresa sabe o que é e como lidar com exigências como CIOT, IPEF, Vale-Pedágio, Seguro, MDF-E, entre outras?
O problema das empresas de transporte rodoviário de cargas não é apenas o aumento de preço do Diesel
Ganhe dinheiro fazendo AET, quer saber como?
Delação da Ecovias atinge PSDB, PT e União Brasil e põe pedágio na eleição de SP




Quem somos

O Guia do Transportador ou, abreviadamente, GUIADOTRC é um Portal especializado na geração de informação, conteúdo técnico e prestação de serviços, inclusive de consultoria, para as pessoas e empresas que atuam na indústria de transportes e logística.

A produção do extenso e abrangente conteúdo técnico é resultado do trabalho coletivo de um grupo de especialistas atuantes em empresas de transportes, universidades, governo e associações de classe, o que garante a confiabilidade, simplicidade e praticidade na consulta e uso das informações disponibilizadas

Atuamos ainda no desenvolvemos de softwares e através da Central de Custos e Formação de Preços de Transportes fazemos pesquisa de Preço de Insumos, elaboramos Planilhas de Cálculo de Custos Operacionais e Tabelas de Frete, assim como índices para atualização de preço dos serviços de Transporte de Carga e de Passageiros.