Caminhões: o que dizem as siglas

As designações 1938S, 35.10, 17.210, FH12, 9800, 124 L 420, 7500, são utilizadas pelos carreteiros para identificar o tipo de caminhão que possuem, porém, muitos motoristas ainda têm dúvida em relação ao real significado desses números e letras estampados nas laterais e frente da cabine. Cada montadora segue um padrão para identificar os seus veículos, umas se preocupam em informar apenas o peso bruto total, outras complementam informando a potência do motor, o tipo de cabina etc.

A Volvo possui as linhas NH, FH e FM e as letras identificam o tipo de cabine. A sigla N identifica os caminhões bicudos da marca, já a F, os cara chata. As letras H e M dizem respeito a característica das cabinas. Assim, os veículos com a sigla H possuem cabinas altas, que proporcionam maior espaço interno para o carreteiro, mas que podem ser encontrados nas versões com cabina baixa, curta (sem cama) e leito (com cama). A sigla M identifica as cabinas com altura média, ou seja, a altura do piso da cabina está abaixo do motor. O número que está localizado ao lado das letras, corresponde a litragem do motor.

A série 4 da Scania possui novas especificações de produtos que se baseiam em quatro classes de veículos, sendo que cada uma delas atende aos requisitos especiais de diversos setores do transporte. A classe L é destinada ao transporte de longa distância; a D são para curtas e médias distâncias e entre vários pontos; o C para os serviços mais árduos e a G são caminhões mais resistentes para os serviços difíceis, realizados em centros urbanos e locais afastados. Os três tipos de cabinas são diferenciados pelas letras P (cara chata e cabina baixa); R (cara chata e cabina alta) e T (bicudo). Os caminhões são identificados por um número de três dígitos, sendo os dois primeiros correspondentes as cilindradas do motor e o terceiro a fase de desenvolvimento. O número localizado do lado esquerdo da cabina informa a potência do motor.

O significado da nomenclatura dos caminhões International é padrão para as três linhas da marca: 4700, 4900 e 9800.

Exemplos de Siglas
Agrale 6000 RD
6000 = PBT 6T
RD = Rodado Simples

Iveco Euro Cargo 160 E 21
160 = PBT 16 T
E = Cabine Euro
21 = Refere-se aos 250 cv do motor

Scanea P 114 (4x2) - 330 cv
P = Cara chata
11 = 11 Cilíndros
4 = Série 4

Ford F 12000
12000 = PBT 12T

Ford C 815
8 = PBT 8 T
15 = Refere-se aos 150 cv DE potência do motor

Volvo FH 12 380 4x2
F = Cara chata
H = Cabine alta
12 = Refere-se ao 12 litros do motor
380 = Potência do motor
Mercedes-Benz 1215 C
12 = PBT 12 T
15 = Refere-se aos 12 cv do motor
C = Circulação urbana
Volkswagen 8-120
8 = PBT 8 T
120 = Refere-se aos 120 cv do motor

A identificação de cada veículo é feita pelo número da série do produto, seguida do Peso Bruto Total ou Peso Bruto Total Combinado, ao lado a letra E que indica que o motor é eletrônico e por fim a potência do motor.

A Agrale, que possui a linha 6000, 7000, 7500 e 8500, identifica na cabina do caminhão o valor aproximado do Peso Bruto Total dos Veículos. A linha 6000 tem as versões RS (rodado simples) e RD (rodado duplo). A sigla TX, encontrada nos primeiros caminhões da marca e que não são mais fabricados, é uma homenagem ao presidente da empresa, Francisco Stedile, e significa “Tio Xico”. Já a sigla MA, (dos chassis MA 7.5 e 8.5), significa que o motor é avançado.

Os caminhões Mercedes Benz são classificados em cinco segmentos: leve, médio, semipesado, pesado e extrapesado. Os modelos para circulação urbana são identificados com a letra C. Para identificar o tipo de motor do caminhão a montadora utiliza a sigla S, que pode ser um cavalo mecânico ou eletrônico. Os veículos eletrônicos são identificados com as letras EL. Os dois primeiros algarismos que aparecem na cabina do caminhão informam ao cliente o Peso Bruto Total e os dois últimos a potência do motor.

A nomenclatura dos produtos da Volkswagen Caminhões e Ônibus, também identifica o Peso Bruto Total do veículo e a potência do motor. A identificação é padrão para todos os segmentos e é aplicada inclusive para a linha de ônibus da empresa. O mesmo procedimento é adotado pela Ford, no caso da linha Cargo, já que a linha F indica apenas o PBT. A Iveco, por sua vez, faz referência ao PBT, ao tipo de cabine e a potência do motor. Assim, os veículos de sigla E possuem cabina Euro e os T (Tractor) são equipados com quinta roda.

Fonte: Revista o Carreteiro





Quem somos

O Guia do Transportador ou, abreviadamente, GUIADOTRC é um Portal especializado na geração de informação, conteúdo técnico e prestação de serviços, inclusive de consultoria, para as pessoas e empresas que atuam na indústria de transportes e logística.

A produção do extenso e abrangente conteúdo técnico é resultado do trabalho coletivo de um grupo de especialistas atuantes em empresas de transportes, universidades, governo e associações de classe, o que garante a confiabilidade, simplicidade e praticidade na consulta e uso das informações disponibilizadas

Atuamos ainda no desenvolvemos de softwares e através da Central de Custos e Formação de Preços de Transportes fazemos pesquisa de Preço de Insumos, elaboramos Planilhas de Cálculo de Custos Operacionais e Tabelas de Frete, assim como índices para atualização de preço dos serviços de Transporte de Carga e de Passageiros.