QUEM SOMOS
LEGISLAÇÃO
PRODUTOS A VENDA
SERVIÇOS
  - Resoluções do Contran
  - Portarias do Denatran
  - RNTRC - ANTT
  - Vale Pedágio
  - Legislação do TRC
  - Transporte de Cargas Especiais
  - Transporte de Cargas Perigosas
  - Trânsito de CVC's (rodotrem)
  - Transporte de Toras
  - Transporte de Produtos Perecíveis
  - Transporte de Produtos Controlados
  - Transporte de Contêineres
  - Transporte Internacional
  - Transporte de Veículos 0 KM
  - Trânsito Aduaneiro - EADI's
  - Veículo com dimensões excedentes
  - Seguros Obrigatórios
  - Livros de logística e transporte
  - VídeoCursos
  - Software para Obtenção de AET
  - Software de Custeio de Frete
  - Revista Mundo Logística
  - Revista Crane Brasil
 - Conteúdo do Portal
 - Notícias e Clipping
 - Central de Tabelas de Frete
 - Cursos e Treinamentos
 - Cursos In Company
 - Dimensionamento de Frotas
 - AET para cargas de projeto
 - Viabilização de cargas de projeto
 - Consultoria para obtenção de AET
 - Estudos de Rigging
 - Consultoria fiscal e contábil
 - Desenvolvimento de Softwares
 - Fale Conosco

Menu...
CENTRAL DE TABELAS DE FRETES
Tabelas Referenciais de Frete
Indicadores - INCT
Frete Peso
Frete Valor
Taxas e Generalidades
Diárias
CAMINHÃO & TRANSPORTE
Requisitos para o T.R.C. no Brasil
Legislação do T.R.C.
Cargas que precisam AET
Índice remissivo do Código Antigo
Artigos do CTB referentes ao TRC
Resoluções Contran Aplicáveis
Pesos e Dimensões Máximas
Pesagem & Tolerâncias
Incorporação da Tolerância
O que é VUC e VLC
Peso e Capacidade dos Caminhões
Peso dos Caminhões - DNIT
Peso dos Caminhões - DER/SP
Entenda o que é CRLV
Classe dos Veículos de Carga
Veículo de Carga _ Terminologia
Especializações e Tipos de Carga
Documentos Obrigatórios
Equipamentos Obrigatórios
Restrições Operacionais
Siglas nos Caminhões
Caminhões Fabricados no Brasil
IMPOSTOS SOBRE O TRANSPORTE
ICMS no Estado de São Paulo
IR; PIS; COFINS; CSLL
Retenções Frete Carreteiro
O que é melhor para o carreteiro: PJ ou PF
Encargos Sociais no TRC
Documentos Fiscais no TRC
Procedimentos fiscais
PEDÁGIOS
Tarifas de Pedágio em São Paulo
Calcule o Gasto com Pedágio
Números da Concessão no Brasil
Evolução das Tarifas de Pedágio
Vale-Pedágio
Tarifas de Pedágio na Argentina
Tarifas de Pedágio no Uruguai
Tarifas de Pedágio no Chile
INFRAÇÃO DOS CAMINHÕES
Por Excesso de Peso
Por Excesso de Fumaça
Com CMT inferior ao PBTC
Falta de Documentação
Falta de Equipamento Obrigatório
Problemas com Tacógrafo
Por falta de porte de AET
Como Recorrer de uma Multa
CAMINHÕES NO MERCOSUL
Pesos e Dimensões na Argentina
Cargas Especiais na Argentina
Req. trânsito de caminhões
O que é ITV
Empresas Credenciadas - CITV
CRT/MIC/DTA
Resolução GMC nº 75/1997
Instrução DPRF nº 12/2002
Deliberação 35 do Contran
Portaria DENATRAN/DPRF Nº 47
CAMINHÕES EM SÃO PAULO
Restrições aos Caminhões - Brasil
Restrição aos Caminhões em SP
Carga e Descarga
Cargas Perigosas
Legislação das Caçambas
Legislação do Motofrete
PRODUTOS PERIGOSOS
Guia do transporte de P.P.
O que é produto perigoso
Legislação - Competência
Normas da ABNT Exigidas
Licenças, Registros e AET's
Despachantes especializados
Documentos necessários
O que é Número de Risco
Classificação de Risco
Sinalização dos Veículos
Tab. de Produtos Perigosos
Tipos de Infração
Transp. de Resíduos Sólidos
Produtos Nucleares
NR-6 - EPI's
Estatística de Acidentes
Perguntas mais Frequentes
TRANSPORTE MULTIMODAL
O que é Multimodalidade
Legislação do OTM
Entraves ao OTM no Brasil
Registro de OTM
Emp. habilitadas como OTM
LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA
Cargas Indivisíveis e Excedentes
Transporte de Produtos Perigosos
Transporte cargas internacionais
Transporte de Toras
Transporte de cargas perecíveis
Transporte Produtos Controlados
Transporte Produtos Siderúrgicos
Transporte de Veículos
Caminhões Excedentes
Trânsito Aduaneiro
Estatísticas sobre Transporte
ESTATÍSTICA E DADOS DO TRC
Resumo estatístico transportes
Indicadores do Transp. Rodoviário
Indicadores do Transp. Ferroviário
O Brasil sobre rodas - Rev. Exame
Números do Transp. de Cargas
Ranking Transportadoras
Ranking Locadoras de Guindastes
Ranking Operadores Logísticos
Ranking Corretoras e Seguradoras
Prêmio melhores Transportadoras
Prêmio melhores Operadores
Custos Logísticos no Brasil
Frota de Caminhões - RNTRC
Frota de Caminhões - Denatran
Frota de Transporte
Perdas com Acidentes de Trânsito
Perfil de Venda de Caminhões
Indústria de Pneus
Infra-estrutura de transportes
Perfil do TRC
Matriz do Transporte de Cargas
Roubo de Cargas
Impacto do estado das rodovias
Competitividade global da infraestrutura brasileira
Estatísticas do transporte brasileiro
Transporte Rodoviário: toneladas/kilômetro transportadas por terceiros entre estados
Cargas mais movimentadas








Relação Potência/Peso

De acordo com o artigo 100 do CTB, nenhum veículo ou combinação de veículos pode ultrapassa a Capacidade Máxima de Tração (CMT) da unidade tratora fixada pelo fabricante.

A Portaria de 1997 do Inmetro – Instituto Nacional de Pesos e Medidas fixou (vide abaixo) em 4,2 kWh/t (5,7 CV Din/t) a relação mínima de potência/peso para caminhões. Para ônibus urbanos, esta relação é de 10,06 CV/t, chegando a 12,24 CV/t para ônibus rodoviários.

Portaria nº 01, de 10 de abril de 1989

Ministério da Indústria e do Comércio - MIC

Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial-

INMETRO

Diretoria de Qualidade Industrial

Portaria nº 01, de 10 de abril de 1989

O Diretor de Qualidade Industrial do Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade

Industrial, no uso das atribuições que lhe confere o inciso I, da Portaria INMETRO nº 28, de 03 de

fevereiro de 1989, e tendo em vista o disposto no Art.79, do Decreto nº 62.127, de 16 de janeiro de 1968, resolve:

Art.1º - Estabelecer, os valores limites de Peso Bruto Total(PBT) e a Capacidade Máxima de Tração(CMT), dos veículos de transporte de carga e de transportes coletivos de pessoas.

I - Os veículos de transporte de carga, deverão observar provisoriamente o limite mínimo fixado para relação potência/peso de 4,2Kw/t (5,71 CV/t), considerando a potência máxima efetiva líquida apurada no ensaio do motor utilizado, ensaio esse realizado confome as NBR nºs 5477/82 e 5484/85;

II - Os veículos de transportes coletivo de passageiros deverão observar provisoriamente os seguintes índices mínimos para a relação potência/peso, considerando a potência máxima efetiva líquida apurada do motor utilizado, ensaio esse realizado conforme as NBR nºs 5477/82 e 5484/85;

a) Ônibus urbano tipo I - 4,2Kw/L, nos termos da Resolução CONMETRO nº 14, de 12/10/1988;

b) Ônibus urbano tipo II - 9,0 Kw/t , nos termos da Resolução CONMETRO nº 14,de 12/10/1988;

c) Ônibus rodoviário - 7,4Kw/t

Art.2º - Em qualquer hipótese, deverão ser observados os limites máximos de peso bruto por

eixo ou conjunto de eixos, estabelecidos pelos Decretos nº 62.127, de 16 de janeiro de 1988, e nº 82.925, de 21 de dezembro de 1978, e Regulamentações Complementares.

Art.3º - Esta Portaria será publicada no Diário Oficial da União, vigorando da data de sua

assinatura.

Osvaldo Gorgonio Cabral

Welcome to Adobe GoLive 6